Low code vs No Code: diferenças, vantagens e desvantagens de cada um desses formatos

 Low code vs no code: é difícil falar de um sem falar do outro, até porque muitas pessoas têm dúvidas sobre as diferenças entre eles. Para começar, podemos dizer que ambos são bastante semelhantes, não apenas no nome, mas acima disso, porque representam um avanço importantíssimo na relação que todos nós temos com a tecnologia.

 Afinal, quem diria que cidadãos com um conhecimento mínimo de desenvolvimento pudessem criar soluções para seus processos diários de uma forma simples e rápida, sem depender de especialistas em TI? 

 A essência das plataformas low code e no code é extraordinariamente interessante porque agrega agilidade, produtividade, democratização da tecnologia e muito mais facilidade de utilização. Mas é preciso compreender bem para que se possa aproveitar suas vantagens nas situações certas.

Vamos entender melhor o que é low code e no code, os benefícios e como essa oportunidade tecnológica pode ajudar sua empresa na construção ágil de soluções.

Low Code vs No code, o que é cada um deles?

 Os termos low code e no code sem dúvida nenhuma estão em alta e o mercado de plataformas desse gênero promete expandir ainda mais. Segundo o relatório The Forrester Wave™: Low-Code Development Platforms for AD&D Pros, Q1 2019’, 23% dos programadores que responderam a pesquisa já utilizam plataformas low code e 22% pretendiam aderir no período de um ano.

 A busca incessante por um desenvolvimento mais ágil de soluções para atender necessidades específicas das empresas é o principal motivo para esse aumento. Mas afinal, o que é low code e no code?

 Tanto um quanto o outro tem o objetivo de facilitar e agilizar a criação de aplicações tecnológicas através do reaproveitamento de códigos, combinado ao uso de técnicas e recursos diversos, como automação e cloud computing

As plataformas No-code (sem código), teoricamente, permitem que qualquer pessoa com o conhecimento básico de seus processos e necessidades, mas habilidade zero de programação, crie soluções através de recursos visuais, como arrastar e soltar, sem necessidade alguma de escrever nenhum tipo de código. 

O Low code (baixo código) segue linhas parecidas de raciocínio, mas são plataformas com soluções semi-prontas e recursos modulares utilizados pela TI para acelerar a construção de aplicações. Com pouquíssima necessidade de programação, o low code permite mais customizações, pois nele é possível acrescentar um pouco de código.

 Existem diversos players e soluções no mercado que atendem requisitos de low code e/ou no code, exemplos disso são plataformas como Salesforce, Outsystems e até as mais populares WordPress e Wix.

O low code e no code nas empresas

 Para entendermos melhor as vantagens do low code e no code nas empresas, precisamos compreender bem em quais cenários essas soluções melhor se encaixam.  

 Durante muito tempo a responsabilidade de prover soluções para as áreas de negócios dentro das organizações era única e exclusivamente do departamento de TI. O foco desses esforços geralmente eram os processos de core business.

 No entanto, nem só de core business vive um negócio! Existem muitos tipos de processos que tem como característica a recorrência, o alto volume, a baixa complexidade e a necessidade de controle. 

 Como exemplo podemos citar as atividades recorrentes que envolvem papel, conferências, aprovações, trocas de e-mails, controle em planilhas e assim por diante. São os processos que chamamos de “apoio” ou “backoffice”.

 Nesses cenários, com as plataformas low code ou no code, é possível que até mesmo a pessoa de negócios consiga criar soluções simples para seus próprios problemas do dia a dia, o que era inimaginável até pouco tempo. 

 Nos casos em que a TI precisa prover soluções usando plataformas low code e no code, a área técnica se beneficia por conseguir suportar as necessidade das áreas de negócios de forma muito mais rápida, testando e entendendo como a ferramenta vai evoluir com mais agilidade. Desta forma, o que demoraria meses pode ser feito em dias, evitando, assim, projetos estressantes e intermináveis.

Vantagens de utilizar plataformas low code e no code

São inúmeras as vantagens de utilizar plataformas low code e no code:

  • Aumentam a produtividade das áreas de TI – pois elas conseguem entregar resultados muito mais rápidos.
  • Aumentam a produtividade de outras áreas – é possível criar diferentes soluções  para diferentes processos do dia a dia, possibilitando maior controle, produtividade e padronização para atividades recorrentes. 
  • Democratizam a tecnologia e dão autonomia a diferentes criadores – pois capacita o desenvolvedor cidadão a criar aplicações, mesmo sabendo pouco ou nada de programação.
  • Facilita e acelera o onboarding das soluções nas empresas – devido a facilidade que oferecem, se torna mais fácil inserir soluções low code e no code nas organizações.
  • Acelera a percepção nas Provas de Conceito (POC) – como é muito mais rápido construir soluções em low code e no code, também é mais rápido testar e ajustar detalhes. Assim, rapidamente é possível entender como as ferramentas devem evoluir.
  • Redução de custos – as plataformas com baixo ou zero código podem representar economia não só de tempo, mas também de dinheiro, pois, geralmente, se tratando de empresas, evita-se projetos gigantes com muitos desenvolvedores.

E tem desvantagens?

 É preciso saber que as plataformas com baixo ou zero código não são a resposta definitiva para todos os problemas da empresa, pois elas oferecem algumas limitações, afinal, estamos falando de plataformas com elementos semi prontos.

 Apesar do alto potencial de personalização e customização, existe uma seleção de opções nas plataformas que podem ou não te atender. Então, se você precisa se diferenciar no mercado, criar uma interface mais robusta ou resolver um problema mais complexo, pode ser que não seja a melhor alternativa. Tudo depende da necessidade do usuário.

 Por isso é tão importante entender bem os diferentes processos que existem dentro de uma empresa e as diferentes soluções disponíveis no mercado. O desafio da TI atualmente é suportar as áreas de negócios com diferentes tipos de tecnologia, construindo assim um pacote de soluções eficiente.

Acessibilidade é o futuro!

 No artigo de hoje nós conhecemos as diferenças entre low code vs no code e conhecemos as diversas vantagens que essas plataformas podem agregar em diferentes tipos de processos.

 O futuro promete ter muito menos código e mais acessibilidade para todas as pessoas que têm um conhecimento básico de programação. Mas vale ressaltar que, quanto maior o processo ou o negócio, maior a necessidade de participação da área de TI para fazer a governança das aplicações. Nesse ponto cada empresa tem sua própria política sobre como lidar com o desenvolvimento de soluções.

 Agora que você já conhece os conceitos e já entendeu quais os benefícios das plataformas de baixo ou nenhum código, eu quero te convidar para conhecer a nossa ferramenta no code de gestão de processos de negócios, o holmes.

 Com o holmes você pode criar soluções para atender as áreas de negócios em processos de backoffice de forma rápida, mesmo sem saber muito de programação ou não sendo um especialista em BPM. Se você quiser saber mais é só clicar aqui no link e se tiver qualquer dúvida, basta deixar nos comentários.