curva de tuckman

Você sabe o que times de futebol e times de trabalho tem em comum? Ambos precisam ter pessoas trabalhando em perfeita harmonia para conquistar os resultados esperados. A seleção brasileira de 1970, por exemplo, foi eleita como uma das melhores equipes do mundo graças a isso. O entrosamento dos jogadores era tão preciso, que a performance do time foi superior a média geral de realizações de uma equipe trabalhando em conjunto. O segredo para chegar esse nível de sincronia é conhecer cada etapa de adaptação do time, e eis que existe um método eficaz para identificar e lidar com essas fases: a Curva de Tuckman.

A dinâmica de um time tem papel importante no desenvolvimento das pessoas. Se for boa, pode estimular todos a ficarem acima de suas médias, se ruim, impacta diretamente na produtividade e entrega da equipe. Ou seja, não adianta ter os melhores jogadores no seu time, é preciso que todos trabalhem em prol dos mesmos objetivos, sem deixar que personalidades divergentes ou conflitantes afetam a dinâmica do grupo. 

Segundo a curva de Tuckman, para que uma equipe chegue a esse patamar de entrosamento é necessário passar por 5 etapas que vão desde a formação e a integração contínua dos participantes. até a dissolução do grupo. 

Então, se você quer conhecer essas etapas e criar um time de alta performance, digno da seleção brasileira de 70 ou da Liverpool de 2019, continue lendo este artigo!

Conhecendo a curva de Tuckman

O psicólogo e professor, Dr. Bruce Wayne Tuckman, em 1965 se juntou a uma equipe de psicólogos e analisou o comportamento de pequenos grupos da Marinha dos Estados Unidos. 

Cada psicólogo escreveu um artigo com sua perspectiva e, ao término do estudo, quando Tuckman foi revisá-los, percebeu que havia duas características comuns a esses pequenos grupos: a estrutura interpessoal ou de grupo e a atividade de tarefa. 

A partir disso, ele identificou que os grupos evoluíram para times por meio de 4 estágios conhecidos como: Forming, Storming, Norming e Performing, que no portugues seria: Formação, Confrontamento, Normatização e Performance. Esses 4 estágios é o que chamamos hoje de curva de Tuckman

O objetivo do estudo era mostrar para os líderes como esses grupos se transformavam em times e como esse relacionamento era construído. E o que ele descobriu foi que a dinâmica e a relação do grupo podem influenciar em como as pessoas realizam suas tarefas.

A teoria é ilustrada em um gráfico (que mostramos logo abaixo) que mostra a ligação entre as relações do grupo. A posição ideal ou de “performance” é alcançada quando os relacionamentos se desenvolvem dentro do grupo e eles começam a funcionar com um foco claro na tarefa.

No entanto, o estudo indica claramente que leva-se tempo para chegar ao estágio de “performance” e é normal que as equipes passem por altos e baixos à medida que desenvolvem relacionamentos. Por isso, anos depois, Tuckman adicionou outro estágio a sua curva, chamado Adjourning ou Adiamento. A adição aconteceu, pois, com a saída ou ingresso de integrantes, crises ou mudanças, estas fases poderiam retroceder ou avançar, dependendo do contexto em que está inserido. Ou seja, as equipes podem avançar ou retroceder no ciclo de desenvolvimento de grupo ou até mesmo ficarem encalhadas em um estágio menos desenvolvido que o desejado. 

Enfim, a curva de Tuckman é um framework que serve para identificar comportamentos no seu time. E esta teoria é 100% aderente aos princípios e métodos ágeis voltados a pequenos grupos (times). Isso porque essa análise valoriza a auto-organização, o papel de facilitação, os ciclos de melhoria contínua, os passíveis de pequenos retrocessos e os avanços devido a natureza dinâmica dos grupos humanos. 

O fato dele ser um guia e não uma lei, por tratarmos de pessoas, mostra que cada grupo construirá sua própria história, não havendo tempos esperados ou regras exigidas em cada fase. Porém, saber em qual estágio de maturidade seu grupo se encontra, ajudará você a encontrar formas de passar para o próximo estágio. 

Gráfico curva de Tuckman

Curva de Tuckman

Como utilizar a análise dos 5 estágios da curva de Tuckman para criar equipes de alta performance

Agora que você conhece a história e o gráfico que mostra como funciona a curva de Tuckman, vamos nos aprofundar nesses estágios e entender como utilizar a análise de cada um deles na criação de um time de alta performance. 

Como mencionei a seleção brasileira de 1970 lá na introdução, vou continuar usando ela de exemplo

1° Formação (Forming)

curva de tuckman

Este é o momento no qual todos estão se conhecendo, ou seja, aqui ainda não existe um time, apenas um grupo de pessoas pensando separadamente, cada um com seu ponto de vista. 

Geralmente, este primeiro momento acontece em uma reunião de apresentação e leva-se tempo para obter integração e sinergia entre os membros do grupo. Por isso, é necessário que você,como líder, os guie. Você deve imprimir um ritmo até que todos comecem a perceber-se como um grupo, aceitando suas diferenças, virtudes e encaixando-se como peças. É neste momento que cada membro precisa conhecer seu papel. 

Cabe a você também, criar um ambiente confortável, no qual, todos percebam que cada membro do grupo está trazendo uma habilidade e conhecimento diferente. E mostrar o quão isso será fundamental para o sucesso do trabalho.

É importante também, incentivar a equipe a criar uma conexão emocional, propondo conversas em que todos possam participar e encontrar um ponto em comum. Assuntos sobre viagens, filmes, comidas e afins, por exemplo,ajudam a levar a interação para além da reunião e, consequentemente, cria laços maiores entre os membros.

2° Confrontamento (Storming)

curva de tuckman

Aqui, o grupo já está trabalhando junto e alguns confrontos podem acabar com o clima que foi instituído no primeiro estágio. 

Estilos de trabalho, prazos não cumpridos e confrontos de personalidades podem predominar nesta fase. Os motivos podem até variar, mas a discórdia será inevitável e a maioria dos grupos passa por esse estágio de confrontação. Existirão conflitos de opiniões divergentes e as famosas panelinhas,e aqui é extremamente importante que você identifique o que está acontecendo e incentive o diálogo como solução para esses problemas. Caso contrário, o grupo poderá permanecer empacado neste estágio por muito tempo. 

Vale lembrar que um pouco de conflito pode ser necessário para que você encontre pontas soltas, realinhe os papéis e estimule novas idéias para o trabalho. Por isso, o  Storming não é necessariamente um estágio ruim, pois desacordos ou conflitos dentro da equipe podem tornar as pessoas mais fortes, versáteis e capazes de trabalhar de forma mais eficaz como uma equipe.

Nesta fase é recomendado também evitar a mudança de pessoas e metas, pois isso pode impactar negativamente na consolidação do grupo.

Então, para passar dessa fase, lembre-se de encontrar o problema e resolvê-lo utilizando o diálogo e incentivando a comunicação.

Quando o grupo for capaz de se comunicar de maneira produtiva e achar um jeito de trabalhar em conjunto, mesmo com suas diferenças,  então ele estará pronto para a próxima fase.

3° Normatização (Norming)

curva de tuckman

Conflitos resolvidos? Agora seu grupo é finalmente um time!

Só passam para o estágio de normatização os times que resolvem suas diferenças, crescem e passam a respeitar e apreciar uns aos outros. Por isso, chegar ao estágio de normatização exige uma boa dose de observação, identificação e ação. 

Nesta etapa seu time já têm uma conexão emocional e performam bem juntos e você como líder deve continuar incentivando essa ligação. Proponha feedbacks, estimule a cooperação, promova a inteligência emocional e o autogerenciamento e não esqueça de preservar a identidade de cada um. 

Lembre-se que, atributos como confiança, compreensão e suporte são construídos aos poucos, com pequenas ações do dia a dia que fazem um grupo de pessoas virar um time. 

Ter um tempo para aquela conversa “de corredor” de um jeito que funcione, ajuda a estabelecer e fortalecer a relação entre eles. 

4° Performance (Performing)

curva de tuckman

Agora você, como líder, chegou a plenitude! A sinergia do seu time está ótima e todos entendem o seu lugar no grupo. Os membros do time estão confortáveis uns com os outros e conseguem trocar ideias sem medo de serem julgados, são autogerenciáveis e estão motivados a atingir os mesmos objetivos. Ou seja, seu time trabalha como uma verdadeira unidade.

Isso quer dizer que os conflitos acabaram? Negativo! A equipe ainda entrará em conflito, mas, agora você não precisará mais intervir, seu time conseguira resolver qualquer divergencia entre eles. 

O seu papel como líder agora é empoderar seu time, confiar em suas decisões e deixar que andem sozinhos. Além disso, este é o momento de parabenizar as conquistas deles e mostrar que você os reconhece como indivíduos fundamentais para o sucesso da empresa. 

Mas lembre-se, é sempre possível voltar um estágio na curva de Tuckman, então continue sempre incentivando a cooperação do time. 

5° Adiamento (Adjourning)

curva de tuckman

Como citei no início, Tuckman adicionou em sua curva o quinto estágio denominado Adiamento. Este estágio se refere ao fim do processo da formação de um time, seja pela saída ou entrada de um novo integrante. 

A saída ou entrada de um membro pode mexer com a cabeça do time e, caso você não aja de primeira para integrar essa nova pessoa, seu time pode retroceder um estágio e será necessário uni-los novamente. 

Dessa forma, seu papel aqui é, como no primeiro estágio, mostrar que o novo membro veio para somar com suas habilidades e conhecimentos e que em nada isso afeta ou prejudica o time. Além disso, quando houver a saída de um dos membros, você deve ser transparente quanto os motivos, para que em nada isso prejudique a sua credibilidade frente ao time.

Pronto para criar seu time de alta performance?

Eu acho a curva de Tuckman um ótimo norte, não só para a formação inicial de equipes, mas para entender em qual estágio a sua está. O que é muito importante, afinal, lidamos com pessoas para desenvolver produtos ou prestar serviços e precisamos identificar lacunas e oportunidades de melhoria em torno de todo o ambiente continuamente. Além disto, saber o momento em que seu time se encontra é fundamental para chegar a coesão e, consequentemente, alta performance.

Lembre-se que sua equipe é como um time de futebol, todos precisam entender suas posições e aprender a trabalhar como uma unidade para alcançar a excelência!

Espero que esse artigo tenha te ajudado a entender a curva de Tuckman e a formar um verdadeiro time!