Especialista revela 6 competências para surfar na transformação digital

 Antes de qualquer coisa, você precisa saber que este não é mais um artigo sobre tecnologia, mas sim sobre pessoas. Aqui vamos conhecer as 6 competências para surfar transformação digital.

Ao ler isso você deve estar pensando, ‘transformação digital e não é sobre tecnologia?’ Exatamente. Afinal, pense comigo: quem tem competência e habilidade é gente e não máquina, certo?

Então, só isso já é motivo mais do que suficiente para você continuar essa leitura. Isso porque, todas as vezes que alguém falha na transformação digital de uma empresa, é porque não entendeu direito as pessoas, seus desejos, necessidades e comportamentos.

 Essa foi a conclusão que eu cheguei depois que conheci o livro 6 competências para surfar na transformação digital, de Andrea Iorio. (De antemão aconselho que você leia, assim você também pode tirar suas próprias conclusões, ok?!).

 E é exatamente sobre essas competências que nós vamos falar hoje. Vou te apresentar algumas das ideias que o escritor e ex- diretor digital da L’oreal, e de outras grandes empresas, apresenta em sua obra. 

Antes de qualquer coisa, conheça Andrea Iorio

 Tinder, Linkedin, Groupon e Lóreal, sabe o que essas empresas têm em comum? O dedo de Andrea Iorio. O autor italiano trabalhou nessas grandes organizações e possui vasta experiência como líder e diretor digital.

Dentre esses, o cargo em que ele mais se destacou foi como diretor da Tinder, onde ele foi  um dos responsáveis por trazer o app para o Brasil e colocá-lo no top 2 de mais utilizados do segmento. 

Além disso, Andrea é formado em economia pela Universidade Bocconi e mestre em relações internacionais pela Universidade Johns Hopkins.

 Hoje Iorio atua como palestrante profissional para grandes empresas, onde fala, com base na experiência prática, de assuntos como transformação digital e inovação. Além disso, ele também é investidor anjo de apps como Zen, um aplicativo de meditação.

 Como escritor ele publicou a obra que é tema deste artigo “ 6 competências para surfar na transformação digital”, que se tornou o livro mais vendido da área de RH na Amazon, de acordo com informações de  seu perfil do linkedin.

 O que ele defende em seu livro?

 Andrea defende que não dá mais tempo para as empresas se perguntarem se precisam mudar, é hora de refletir em COMO mudar. Ele costuma usar em suas palestras o termo “Metanoia”, que significa uma mudança radical de pensamento ou caráter, para resumir esse conceito.

 Para ele é preciso mudar radicalmente as ideias, ‘pensar fora da caixa’:  “A transformação digital é uma mudança de comportamento. Não falamos de ferramentas e tecnologia, mas sim de pessoas”. (Andrea Iorio) {citação}

 Muita gente teme que os robôs “substituam” os seres humanos em diversas posições de trabalho. Para Andrea, as máquinas podem até automatizar algumas tarefas e extinguir alguns tipos de trabalho, mas nunca poderão encabeçar um processo de transformação digital

 É necessário compreender o que está mudando e estar um passo à frente dessa mudança, em que somente as pessoas podem ser o centro. Assim, para surfar na onda da transformação digital é necessário identificar competências como essas que vamos listar a seguir:

As 6 competências para surfar na transformação digital:

1- Flexibilidade cognitiva

 A flexibilidade cognitiva é o potencial de aprender continuamente e, através desse aprendizado, se adaptar às diferentes situações.

 Em um mundo cada vez mais digital, é necessário virar a chave do nosso código mental, de fixo, aquele que é imutável, para construtivo, aquele que se transforma e evolui. 

Para Andrea, no contexto digital, não é mais possível contratar profissionais prontos para determinada posição, por mais tenham conhecimento e experiência. A solução é contratar aqueles que “aprenderam a aprender” e que são capazes continuar evoluindo com tempo.

Dada a velocidade com que as coisas mudam, não podemos mais esperar que o que sabemos hoje é suficiente para nos manter no mercado durante mais dez ou vinte anos. 

2- Execução inovadora

 Executar algo com inovação é a segunda competência listada por Andrea. E com isso é importante ressaltar que inovação não significa criar algo totalmente novo, mas sim transformar o que já existe

 Como você pode solucionar um problema que sempre existiu, e que já tem outras soluções, de uma forma transformadora e poderosa? Esse deve ser o questionamento. 

 Segundo ele, inovação tem a ver com novos processos e fórmulas. Para encontrar esses novos caminhos é necessário estimular a criatividade das pessoas da equipe através da troca de ideias e colaboração.

3- Especialização em comportamento humano

 Iorio alerta sobre a importância de entender o comportamento humano para que o processo de transformação digital seja bem sucedido. Segundo ele é preciso compreender o que as pessoas querem e não oferecer menos do que isso

 Os profissionais especialistas no comportamento humano terão muitas oportunidades no contexto digital, pois compreender os caminhos que a sociedade está tomando e as necessidades das pessoas é essencial para encontrar novas demandas no mercado e manter os negócios vivos. 

4- Altruísmo digital

 O altruísmo digital é a competência que coloca o usuário no centro da transformação digital. Isso significa que as habilidades das pessoas estão acima das máquinas, e as relações entre os humanos deve ser o foco principal deste processo.

 Assim, os relacionamentos inter-pessoais são extremamente importantes na transformação digital. As máquinas existem para apoiar essas relações, mas o protagonismo é das pessoas.

5- Pensamento crítico

 Precisamos de profissionais dispostos a desafiar o status quo, ou seja, questionar o estado atual das coisas, para conduzir a transformação digital.

 Indivíduos que possuem pensamento crítico são capazes de questionar e não aceitar as coisas como são. Estes profissionais são necessários na transformação digital justamente pela capacidade de sair da zona de conforto e repensar o que, por que e como as coisas têm sido feitas de determinada forma, a fim de encontrar novas soluções.

6- Crescimento sustentável

 Bom, nós vimos que todas as competências de certa forma têm a ver com as pessoas, o crescimento sustentável também. Pensar na experiência do usuário e criar isso de uma forma fantástica é fazer a diferença na vida das pessoas.

 E quando você faz a diferença, a tendência é que elas voltem e que através disso o crescimento seja sustentável. Ele ressalta também a importância de entendermos que os negócios não são mais B2B, B2C ou C2C, mas sim human to human.

 Assim podemos considerar que as pessoas não querem mais comprar de uma empresa, elas querem um rosto, um nome, uma história, querem sentir confiança e representatividade.

Pronto para desenvolver essas competências?

 No artigo de hoje nós conhecemos um pouco das 6 competências para surfar na transformação digital, obra de Andrea Iorio. 

Recomendo mais uma vez que você leia este livro, ainda mais se você estiver buscando se posicionar como um profissional digital ou se você for alguém da área de RH em busca dessas competências para sua equipe.

 De qualquer modo, além dessa leitura quero te recomendar mais uma, afinal transformação digital é um assunto necessário que ainda rende muitas discussões, por exemplo, dentro das empresas, como conciliar esse processo entre TI e a área de negócios? Este é um desafio muito grande para as empresas, concorda?

Então, você pode querer ler esse outro artigo aqui que fala sobre isso:  Transformação digital é “coisa de TI”? O que as empresas ganham empoderando digitalmente as pessoas.

Tenho certeza que vai ser útil de alguma forma. Espero, que você tenha gostado deste conteúdo, qualquer dúvida é só escrever nos comentários, ok?! 🙂